Skip to content

Arnaldo Rocha

Biografia de Jesus em Versos – Esclarecimentos Necessários

O Sonho Revelador

É tradição bem antiga,
Adotada como procedimento,
No dia 25 de dezembro
Celebrar o nascimento

Do querido menino Jesus.
Nessa época a estação
Do hemisfério norte é inverno;
Porém o mais provável, então,

É que Jesus tenha nascido
Na primavera ou verão;
Porque diz o Evangelho
Que nessa específica ocasião,

Conforme está registrado,
Os pastores daqueles locais
Guardavam nos campos
Todos os seus animais,

O que não acontecia no inverno,
Quando os rebanhos eram recolhidos
Aos incontáveis estábulos
Onde ficavam protegidos.

Conforme esse entendimento,
Jesus pode ter nascido, então,
Entre os meses de maio e julho,
Pois na Palestina é primavera ou verão.

Nove meses tinham decorridos
Após aquele dia memorável de fé
Em que o anjo do Senhor
Aparecera a Maria, em Nazaré.

Mas não era em Nazaré
Onde de fato deveria
Nascer o Mestre Jesus.
Quatro séculos havia

Que o profeta Miquéias
Designara como torrão natal
Do nascimento do Messias
Exatamente um outro local:“Tu, Belém de Éfrata,

Entre as principais de Judá,
Embora sendo uma pequenina cidade,
Verás surgir o chefe de Israel,
Cuja origem remonta aos dias da eternidade!”

Em Miquéias² estava afirmado
Que o filho de Davi nasceria
Na cidade real de Davi
Conforme estava nesta profecia.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador

Capítulo 8 – Esclarecimentos Necessários

 

 

 

Biografia de Jesus em Versos – O Sonho Revelador

O Sonho Revelador

No amanhecer do dia seguinte,
José entregou-se mecanicamente
Às suas tarefas profissionais
Que ele realizava diariamente,

Sem parar um só minuto
De lembrar da revelação
Que lhe havia feito Maria
Sobre a sua misteriosa gestação.

Depois de muito refletir,
José chegou à conclusão
De que deveria abandonar Maria
Sem chamar nenhuma atenção

Para evitar um mal maior
Conforme o costume presente
De ter de acusá-la de infiel
Na frente de toda a gente.

E assim terminou o seu dia,
Ciente de como deveria agir
E tão cansado se encontrava
Que cedo da noite foi dormir.

Tão logo José adormecera,
Um sonho estranho passou a ter:
De repente, diante dele
Um anjo se fez aparecer;

Sem querer identificar-se,
Disse assim naquela hora:
Não temas quanto a tua honra.
O filho que Maria, agora,

Traz em seu ventre
Foi gerado, verdadeiramente,
Pelo Espírito Santo de Deus
E se chamará Jesus, simplesmente,

E o mesmo livrará teu povo
De todos os pecados
No outro dia pela manhã,
Depois de haver acordado,

José se encontrava convicto
De que aquele sonho vívido
Era razão mais que suficiente
Para saber o que havia ocorrido,

Maria estava grávida de Deus
E no seu ventre crescia
Um menino prodigioso
Que de Jesus se chamaria.

Isto fora tudo que o anjo dissera
E, naquela situação presente,
Parecera para o carpinteiro José
Muito mais do que suficiente.

Agora ele era outro homem
E, logo às primeiras luzes do dia,
José foi feliz ao encontro
Da sua adorada Maria.

Sentia-se muito honrado
Pelo encargo abençoado
Que o divino Pai Celestial
Lhe tinha outorgado.

Entre! Entre! Ela está lá dentro
Disse a mãe de Maria.
A idosa genitora, naquela hora,
Não sabia se chorava ou se sorria

Pela felicidade inesperada
Da visita do carpinteiro José
Que chegara com o jeito
De quem sabe o que quer

E que, com toda certeza,
Assumiria na oportunidade
O seu compromisso com Maria
Mostrando a sua lealdade.

José entrou casa dentro
E foi ao encontro de Maria
Que se encontrava ocupada
Com o tricô que produzia.

Assim que a jovem Maria
Sentiu a presença de José,
Exclamou muito intrigada:
José…! o que faz aqui, o que quer?!

Maria, minha querida!
Disse José, sensibilizado.
Por que não me disse tudo?
Oh, estou tão maravilhado!

Maria ficou intrigada
Sem ter compreendido
A reação de seu noivo
Sempre tão comedido.

Só poderia ser um milagre
Que houvesse acontecido
Para estar a sua frente
Como se nada grave tivesse ocorrido.

Um anjo apareceu-me em sonhos
E contou-me o que aconteceu
Foi o que disse o carpinteiro,
E assim Maria compreendeu

A atitude muito estranha
E completamente diferente
Que o seu noivo José
Tivera, ali, a sua frente.

O Anjo disse-me tudo
Sobre a sua gestação!
E, como que hipnotizado
Pela divina revelação,

Perguntou a sua noiva Maria
Se o nome que seria dado
À futura criança seria Jesus
Conforme o anjo havia anunciado.

Maria respondeu alegremente:
Sim, esse é o nome escolhido
E disse-lhe José emocionado:
Maria, venha morar comigo.

Deixe-me ser o pai terreno
Desta criança que está a gerar,
Ajudando-a nessa honrada missão
Que juntos iremos desempenhar,

De sermos os pais do Redentor
Que vem ensinar à humanidade
O caminho da salvação,
Do amor e da fraternidade.

E foi graças a esse gesto
Que José passou a ser considerado
Como o pai verdadeiro de Jesus,
O nosso querido Mestre amado.

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos


Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador