Skip to content

Jesus

O Nascimento de Jesus

O NASCIMENTO DE JESUS

Para o leste de Belém,
Viam-se à meia légua de distância
As campinas de Beth-Sahur,
Em verdejante fulgor e exuberância.

Serena e bela corria a noite.
Das alturas da abóbada celestial,
Cintilavam incontáveis estrelas
Iluminando de maneira natural

Os palácios dos homens ricos
E os tugúrios dos menos favorecidos.
Lá fora, nas extensas planuras
Dos históricos e conhecidos

Campos de Beth-Sahur,
Viam-se grupos no pastoreiro
Sentados à frente de suas barracas,
Reunidos ao redor do braseiro,

Ao passo que outros, mais além,
Tomavam conta dos animais.
Era meia-noite passada.
A intensidade dos raios colossais

Do mantenedor da vida física,
Irradiado por meio da lua cheia,
Difundia por toda a atmosfera
Luzes argênteas a mancheias,

Envolvendo em mistérios
A vastidão do espaço noturno.
Os singelos e pacatos pastores
Durante a noite, por seu turno,

Passavam a contar histórias
De outras eras e de outros locais,
Quando não faziam comentários
Sobre as dificuldades existenciais

Dos impostos pagos a Roma,
Do decreto imperial recente
Referente ao recenseamento
Imposto a toda aquela gente;

Enquanto outros grupos falavam
Das esperanças de Israel,
Ansiando pela chegada do Messias,
Um emissário que viria do céu
Para libertar o povo sofrido
Dessa cruel escravidão.
De súbito, um guarda-noturno,
Solta um grito de exclamação

Entre surpreso e amedrontado.
Sobre uma das colinas de Belém,
Paira uma como neblina luminosa
Que, lentamente, aos poucos vem

Em direção ao acampamento
Onde estavam a conversar
Os pastores naquele instante.
Todos se põem a observar

O estranho e insólito fenômeno
Que naquele exato momento
Deixou estupefatos e extasiados
Os pastores no acampamento.

Agitam-se estremunhados
Os rebanhos no pasto recolhidos;
Os cães ladram sem parar;
E os pastores mais prevenidos

Empunham suas armas primitivas.
Tão intenso vai se tornando
O fulgor da misteriosa nuvem
Que, quanto mais vai se aproximando,

Ilumina grande parte dos campos
Daquela aprazível região,
Parecendo empalidecer o brilho
Das estrelas na escuridão.

Por algum tempo, os pastores
Ficam somente na observação
Em ansiosa expectativa
Sobre a luminosa aparição.

Eis que de repente surge
E do centro desse nevoeiro reluz
Uma figura de indizível beleza
Um ser aureolado de luz.

Os pastores, à vista da aparição,
Caem por terra, transidos de terror.
Outros fogem espavoridos…
Que seria aquilo?… Um anjo do Senhor?…
Entrementes, acercara-se deles,
Sem nenhum constrangimento,
A luminosa e estranha aparição
Que lhes disse naquele momento:

“Não temais! Eis que vos anuncio
Uma tamanha alegria,
Que caberá a todo povo:
Nasceu -vos, nesse dia,

Na cidade de Davi,
O Cristo, que é o Salvador,
E que com toda certeza
É o nosso Mestre e Senhor.

E isto vos servirá de sinal:
Um menino será por vós encontrado
Que estará envolto em faixas
E numa manjedoura deitado”.

Apenas o anjo acabou de falar,
Desfez-se a fúlgida nebulosa
Numa infinidade de seres celestes
Seres de beleza esplendorosa

Como não pode deixar de idear
A fantasia mais arrojada;
E em torno do primeiro anjo,
Como uma via-láctea formada

Entre o céu e a terra,
Começaram a girar e a bailar
Com uma graça indizível
E nesses termos a cantar:

“Glória a Deus nas alturas!
E continuando na mesma intensidade
E paz na face da Terra
Aos homens de boa vontade”.

Os pastores mal acreditavam
No que haviam presenciado;
Parecia-lhe um sonho irreal
Que eles tinham vivenciado;

Estavam inebriados do gozo
E queriam habitar eternamente
À luz daquela glória
Que os circundavam presentemente.
Pouco a pouco se foram
Os celestiais anjos cantores…
E esfregando os olhos deslumbrados,
Acabaram voltando a si os pastores.

Entreolharam-se mudos,
Em completa estupefação…
“Vamos até Belém”
Disseram alguns na ocasião

E confirmemos, então,
O que o anjo anunciou
Para todos nós senhores:
“Nasceu-vos hoje o Salvador”.

Abandonaram os seus rebanhos
E correram para Belém.
Galgaram a pequena colina
E um pouco, mais além,

Chegaram à gruta tão conhecida.
À entrada, ficaram na indecisão,
Se entravam ou se voltavam,
Devido a um estranho clarão

Que irrompia do interior.
Nisto aparece à entrada
Um homem de aspecto amável
E que, ouvindo a história contada

Pelos pastores que ali estavam,
Convida-os a entrar no ambiente
Onde confirmaram, eles próprios,
A verdade de forma patente.

Encontram um lindo menino
Em algumas faixas enrolado,
Que naquele instante preciso
Estava numa manjedoura deitado.

Ao lado dessa criança,
Uma jovem mãe se encontrava
E tanta era a vibração de amor
Que a todos contagiava.

Depois dessa visita
Voltaram às suas atividades
E espalharam por onde andaram
Essa maravilhosa novidade.
Após o nascimento de Jesus
José e Maria ainda ficaram
Algum tempo em Belém,
Se é que não intencionavam

Estabelecer-se lá definitivamente.
Belém era a terra natal
De todos os seus ascendentes;
E acabara de ser o local

Do maior acontecimento
Que o casal tinha vivenciado.
No oitavo dia de existência
O menino foi circuncidado

De acordo com a lei mosaica.
Competia ao pai, geralmente,
Executar esta cerimônia
Perante os convidados presentes.

Nesta ocasião especial
Os pais deram, com todo amor,
O nome de Jesus à criança
Que significa: “Salvador”.

Esta cerimônia foi realizada
No templo de Jerusalém
Que ficava a 13 quilômetros
Da cidadezinha de Belém.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador

Capítulo 8 – Esclarecimentos Necessários

Capítulo 9 –  O Recenseamento

Capítulo 10 – De Nazaré a Belém de Judá

Capítulo 11 – Jerusalém, Atualmente

Capítulo 12 – O Nascimento de Jesus

 

 

 

 

 

 

Jerusalém, Atualmente

Jerusalém, Atualmente

O peregrino que atualmente
Vai à cidade de Jerusalém,
E depois anda mais 13 quilômetros
Até a famosa gruta de Belém,

Encontra um templo magnífico
E dentro dessa construção
Está a gruta onde Jesus nasceu
Para trazer ao mundo a salvação.

Debaixo do maravilho altar
Encontra-se uma estrela prateada,
Embutida no pavimento de mármore
Que por lâmpadas suspensas é iluminada.

Em torno dessa estrela
Símbolo da “Luz do Mundo”
Que despontou à meia-noite
Fulgura a inscrição ao fundo:

“Hic de Virgine Maria
Jesus Christus Natus est”,
Expressão escrita em Latim
Que é traduzida assim:

“Aqui, da Virgem Maria,
Jesus Cristo Nasceu”.
A seguir contaremos
Como isso aconteceu.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador

Capítulo 8 – Esclarecimentos Necessários

Capítulo 9 –  O Recenseamento

Capítulo 10 – De Nazaré a Belém de Judá

Capítulo 11 – Jerusalém, Atualmente

 

 

 

 

 

De Nazaré a Belém de Judá

De Nazaré a Belém de Judá

Auxiliada pelo esposo José,
A gestante Maria foi colocada
Sobre o lombo de um jumento
E a viagem foi iniciada

Rumo à Belém de Judá,
Que muito longe ficava,
Mais ou menos a 100 quilômetros
Da cidade onde se encontrava.

Pelas estradas empoeiradas,
Grupos de peregrinos passavam,
Montados em animais ou a pé,
E as suas origens buscavam

Para cumprir da mesma forma
O decreto que o imperador
Havia imposto ao povo judeu
Que mais humilhado ficou.

Depois de cinco longos dias
De uma penosa jornada,
Principalmente para Maria,
Enfrentados ao longo da estrada,

Finalmente chegaram à Belém
Localizada à beira da estrada
Que conduz à cidade de Hebron,
Um pouco mais afastada.

A casaria dessa região
Derrama-se com pitoresca irregularidade
Sobre duas colinas separadas
Por uma ligeira e superficial cavidade.

Em derredor das vivendas,
Vicejam abundantes vinhedos,
Generosos e verdejantes olivais,
Imensos e pomposos figueiredos;

E mais além se desdobravam
As campinas abundantes
De chamada Beth-Sahur,
Pontuadas, a todo instante,

De ovelhas ou de cabras
Em toda a sua extensão.
Beth-Iehem quer dizer:
A “Casa do Pão”,
Ou seja “Celeiro do Trigo”;
E, de fato, na verdade,
Eram vastos os trigais
Que cobriam aquela localidade.

Na rampa da colina ocidental
Abre-se uma caverna espaçosa,
A par de outras menores,
Com a entrada para a banda oriental.

Dois solitários viajantes
Subiram nesse dia, em questão,
As colinas nas quais se assentava
Essa procurada povoação;

A jovem, montada em um jumento,
E o seu fiel esposo, a pé,
Alcançaram à cidade de Belém,
Oriundos da pequena Nazaré.

Chegaram muito cansados,
Cobertos da poeira da estrada,
E os lábios a arderem de sede
Depois dessa grande jornada.

Foram à procura de um albergue,
De algum ranchinho ou de um galpão
Onde pudessem descansar à noite
Recuperando-se dessa grande exaustão.

Baldados foram os esforços.
Por mais que José se esforçasse,
Que batesse de porta em porta,
Por mais que ele suplicasse,

E fizesse ver a necessidade
De descanso para a gestante,
Não encontrou nenhum lugar
Nas hospedarias circunstantes.

“Vinha Jesus ao que era seu 
E os seus não o receberam!”
Belém regurgitava de forasteiros
Que para lá acorreram

Atraídos pelo recenseamento;
Todas as estalagens da região
Estavam abarrotadas de peregrinos
Que chegaram com a mesma intenção;
Só mesmo a peso de ouro
Teria sido possível lograr
Uma vaga numa hospedaria
Onde se pudesse abrigar;

Mas os dois viandantes,
Conhecidos como Maria e José,
Eram pessoas pobres
Vindas da cidade de Nazaré.

Entrementes, o sol se punha
A envolver em sombras Belém,
E eles deixaram a cidade desapontados
Para buscarem um refúgio mais além.

José sabia que existia,
Nas colinas próximas à cidade,
Uma caverna bem espaçosa
E para lá se dirigiu com celeridade.

Media 10 metros de fundo
Sobre 4 metros de largura,
E o “pé direito” dessa gruta
Possuía 3 metros de altura.

Defronte dessa caverna
Tinham os pastores do local
Construído uma espécie de varanda
Ou um rancho de palhal.

Nesse abrigo recolheram-se
A futura mãe e o carpinteiro,
Arranjando-se do melhor modo possível,
Sob a luz de um candeeiro.

José preparou um leito
De palhas secas sobre o chão
Para que a futura mãe de Jesus
Pudesse descansar nessa ocasião.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador

Capítulo 8 – Esclarecimentos Necessários

Capítulo 9 –  O Recenseamento

Capítulo 10 – De Nazaré a Belém de Judá

 

 

 

 

 

Biografia de Jesus em Versos – Esclarecimentos Necessários

O Sonho Revelador

É tradição bem antiga,
Adotada como procedimento,
No dia 25 de dezembro
Celebrar o nascimento

Do querido menino Jesus.
Nessa época a estação
Do hemisfério norte é inverno;
Porém o mais provável, então,

É que Jesus tenha nascido
Na primavera ou verão;
Porque diz o Evangelho
Que nessa específica ocasião,

Conforme está registrado,
Os pastores daqueles locais
Guardavam nos campos
Todos os seus animais,

O que não acontecia no inverno,
Quando os rebanhos eram recolhidos
Aos incontáveis estábulos
Onde ficavam protegidos.

Conforme esse entendimento,
Jesus pode ter nascido, então,
Entre os meses de maio e julho,
Pois na Palestina é primavera ou verão.

Nove meses tinham decorridos
Após aquele dia memorável de fé
Em que o anjo do Senhor
Aparecera a Maria, em Nazaré.

Mas não era em Nazaré
Onde de fato deveria
Nascer o Mestre Jesus.
Quatro séculos havia

Que o profeta Miquéias
Designara como torrão natal
Do nascimento do Messias
Exatamente um outro local:“Tu, Belém de Éfrata,

Entre as principais de Judá,
Embora sendo uma pequenina cidade,
Verás surgir o chefe de Israel,
Cuja origem remonta aos dias da eternidade!”

Em Miquéias² estava afirmado
Que o filho de Davi nasceria
Na cidade real de Davi
Conforme estava nesta profecia.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador

Capítulo 8 – Esclarecimentos Necessários

 

 

 

Biografia de Jesus em Versos – O Sonho Revelador

O Sonho Revelador

No amanhecer do dia seguinte,
José entregou-se mecanicamente
Às suas tarefas profissionais
Que ele realizava diariamente,

Sem parar um só minuto
De lembrar da revelação
Que lhe havia feito Maria
Sobre a sua misteriosa gestação.

Depois de muito refletir,
José chegou à conclusão
De que deveria abandonar Maria
Sem chamar nenhuma atenção

Para evitar um mal maior
Conforme o costume presente
De ter de acusá-la de infiel
Na frente de toda a gente.

E assim terminou o seu dia,
Ciente de como deveria agir
E tão cansado se encontrava
Que cedo da noite foi dormir.

Tão logo José adormecera,
Um sonho estranho passou a ter:
De repente, diante dele
Um anjo se fez aparecer;

Sem querer identificar-se,
Disse assim naquela hora:
Não temas quanto a tua honra.
O filho que Maria, agora,

Traz em seu ventre
Foi gerado, verdadeiramente,
Pelo Espírito Santo de Deus
E se chamará Jesus, simplesmente,

E o mesmo livrará teu povo
De todos os pecados
No outro dia pela manhã,
Depois de haver acordado,

José se encontrava convicto
De que aquele sonho vívido
Era razão mais que suficiente
Para saber o que havia ocorrido,

Maria estava grávida de Deus
E no seu ventre crescia
Um menino prodigioso
Que de Jesus se chamaria.

Isto fora tudo que o anjo dissera
E, naquela situação presente,
Parecera para o carpinteiro José
Muito mais do que suficiente.

Agora ele era outro homem
E, logo às primeiras luzes do dia,
José foi feliz ao encontro
Da sua adorada Maria.

Sentia-se muito honrado
Pelo encargo abençoado
Que o divino Pai Celestial
Lhe tinha outorgado.

Entre! Entre! Ela está lá dentro
Disse a mãe de Maria.
A idosa genitora, naquela hora,
Não sabia se chorava ou se sorria

Pela felicidade inesperada
Da visita do carpinteiro José
Que chegara com o jeito
De quem sabe o que quer

E que, com toda certeza,
Assumiria na oportunidade
O seu compromisso com Maria
Mostrando a sua lealdade.

José entrou casa dentro
E foi ao encontro de Maria
Que se encontrava ocupada
Com o tricô que produzia.

Assim que a jovem Maria
Sentiu a presença de José,
Exclamou muito intrigada:
José…! o que faz aqui, o que quer?!

Maria, minha querida!
Disse José, sensibilizado.
Por que não me disse tudo?
Oh, estou tão maravilhado!

Maria ficou intrigada
Sem ter compreendido
A reação de seu noivo
Sempre tão comedido.

Só poderia ser um milagre
Que houvesse acontecido
Para estar a sua frente
Como se nada grave tivesse ocorrido.

Um anjo apareceu-me em sonhos
E contou-me o que aconteceu
Foi o que disse o carpinteiro,
E assim Maria compreendeu

A atitude muito estranha
E completamente diferente
Que o seu noivo José
Tivera, ali, a sua frente.

O Anjo disse-me tudo
Sobre a sua gestação!
E, como que hipnotizado
Pela divina revelação,

Perguntou a sua noiva Maria
Se o nome que seria dado
À futura criança seria Jesus
Conforme o anjo havia anunciado.

Maria respondeu alegremente:
Sim, esse é o nome escolhido
E disse-lhe José emocionado:
Maria, venha morar comigo.

Deixe-me ser o pai terreno
Desta criança que está a gerar,
Ajudando-a nessa honrada missão
Que juntos iremos desempenhar,

De sermos os pais do Redentor
Que vem ensinar à humanidade
O caminho da salvação,
Do amor e da fraternidade.

E foi graças a esse gesto
Que José passou a ser considerado
Como o pai verdadeiro de Jesus,
O nosso querido Mestre amado.

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos


Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

Capítulo 7 – O Sonho Revelador

 

 


Biografia de Jesus em Versos – O Difícil Reencontro

O Difícil Reencontro

Após três meses de ausência,
Maria retornou a sua cidade
Decidida a enfrentar o problema
E a dizer ao seu noivo toda a verdade.

Montada em seu velho jumento,
A jovem, preocupada, desceu
A última encosta de montanha
E foi ao encontro do noivo seu.

Dirigiu-se à carpintaria
Onde seu noivo José trabalhava,
Lá chegando quando o sol
No horizonte declinava.

Conforme o costume da época,
O compromisso de um noivado
Equivalia, para todos os efeitos,
Ao de um contrato legalizado.

José era um homem maduro,
Bem mais velho que Maria;
Mas, apesar de sua idade,
Muito carinho por ele ela sentia.

Assim que José ouviu
Um discreto relincho do jumento,
Levantou seus olhos e avistou
A sua noiva naquele momento.

Imediatamente o seu rosto
Iluminou-se de grande alegria,
Pois naquele instante chegara
A sua linda noiva Maria.

Maria! Afinal, tenho-a de volta,
Depois de muito tempo, não é?
E vem mais bela e cheia do que nunca!
Exclamou o carpinteiro José,

Largando imediatamente a plaina
E esfregando as suas mãos
Para limpá-las da serragem
Que caía ao redor no chão.
Aproximou-se de sua noiva
Que foi logo lhe dizendo:
Mais cheia…?  repetiu ela,
Sem saber o que estava acontecendo.

… mais cheia de graça!
Emendou ele, generoso,
Mostrando a sua noiva
O seu lado gentil e carinhoso.

José preciso muito lhe falar!
Assim disse sem da alimária apear
Dando graças pelo manto
Que a gravidez estava a ocultar.

Pois fale, Maria, fale sempre!
Disse-lhe naquele momento
Estendendo os seus braços
Para descê-la do jumento.

Tão logo ele a colocou
De pé sobre o chão,
O manto estendeu-se
Sobre o corpo de Maria e, então,

Ele pôde perceber,
Naquele instante somente,
Que havia se tornado visível
O seu ventre proeminente.

Estou esperando um filho
Disse-lhe Maria constrangida.
Um filho?  balbuciou José,
Recuando logo em seguida

Sem compreender direito
O que se passava no momento.
Depois de alguns instantes,
Vencido o constrangimento,

José serenou-se um pouco
E perguntou-lhe em última instância,
Da forma que qualquer homem faria
Se estivesse nessa circunstância:

Em nome de Deus!
Espera um filho… de quem?
Não sei explicar
Disse Maria num sussurrar…

Sei apenas que não o traí
E que, apesar de estar gestante,
Permaneço virgem do mesmo jeito.
José, fixando Maria naquele instante,

Ficou ainda mais aparvalhado.
 Maria, Maria por favor,
Atente para o que está dizendo
Disse ele em estado de estupor

E também muito apiedado
Da tamanha ingenuidade
Que acreditava ter sua noiva
Ainda tão jovem em idade.

Não me pergunte mais nada,
Pois nem eu saberia explicar
Disse Maria preocupada
Se ele iria ou não nela acreditar.

Naquele mesmo instante,
Ela tornou a montar o animal
Que retomou o caminho
Para fora daquele local.

José não fez nenhum gesto
Para não deixá-la partir
E ficou apenas observando-a
Afastar-se para longe de si

Até que ela desaparecesse
Numa curva da estrada
Retornando para a casa da mãe
Onde era muito aguardada.

“Espera um filho que não é meu…
Mas diz que não houve traição…
E que ainda permanece virgem!”
José pensou nessa situação

Até a hora de pôr-se na cama
E ficou um bom tempo acordado,
Entregue às suas cogitações
Sem chegar a nenhum resultado.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

 


Biografia de Jesus em Versos – Maria Visita sua Prima Isabel

Maria Visita sua Prima Isabel

Evitando falar para sua mãe
Sobre a sua atual situação
De virgem e ainda solteira
E já em início de gestação,

Maria arrumou a sua bagagem
Para viajar rapidamente
E, despedindo-se de sua mãe,
Disse-lhe carinhosamente

Para que não se preocupasse
Pois ela estaria em segurança
E só voltaria logo depois
Que sua prima tivesse a criança.

Estando inteiramente convicta
De que um filho iria procriar,
Maria deu um beijo em sua mãe
E seguiu para a cidade de Judá,

A sete quilômetros de distância,
A oeste da cidade de Jerusalém,
Para visitar sua prima Isabel
Que estava grávida também.

Gabriel tinha informado
A cada uma dessas senhoras
Sobre a sua aparição à outra
Em diferentes dias e horas.

Naturalmente elas estavam
Ansiosas, por demais,
Para encontrar-se e compartilhar
As suas experiências pessoais,

E para falar, provavelmente
Nessa esperada ocasião,
Sobre a missão de seus filhos
Dita pelo anjo na predição.

Zacarias e Isabel residiam
Numa aldeia serrana que, certamente,
Denomina-se “São João da Montanha”,
Situada em Ain-Karin, atualmente.

Seguindo o caminho montanhoso
Que a levaria a cidade de Judá,
Maria se preocupava com o fato
De como ao seu noivo iria falar

Da insólita gravidez e com o fato
De como seria a sua reação
Depois dele ficar sabendo
Da forma que se deu a concepção.

Envolvida nesse círculo tortuoso
Dessa preocupação presente,
Maria andou até encontrar
A casa de sua prima, finalmente.

À beira de lindo jardim,
Isabel é a primeira a avistar
A sua querida prima Maria
Que viera lhe visitar.

Corre-lhe ao encontro, abraça-a
E diz antes que em sua casa entre:
Bendita és tu entre as mulheres
E bendito é o fruto do teu ventre!

Tomada de profundo sentimento
De gratidão e muito amor,
Maria diz naquele instante solene:
Minha alma glorifica ao Senhor

E meu espírito exulta em Deus,
O meu único salvador…
Veja, veja…!  disse Isabel,
Naquele envolvimento de amor.

O meu filho pula de alegria
Em meu ventre nesse instante!
Então as futuras genitoras,
Ainda muito mais confiantes,

Coincidiram na opinião
De que o bebê de Isabel
Regozijara-se intensamente
Com Aquele que viria do céu,

Que, analogamente, estava oculto
Pela organização material
Do ventre da futura mãe Maria,
Este Ser divino sem igual.

E foi nesse estado de exaltação
Que as duas primas queridas
Entraram para a residência
Trocando impressões vividas.

Durante o período de três meses,
Maria, com sua prima, permaneceu
Cuidando dos afazeres domésticos
Até o dia em que o filho desta nasceu.

Terminados os três meses,
E depois de nascido o Precursor,
Maria despede-se da família
E para Nazaré ela retornou.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

 


Biografia de Jesus em Versos – A Visão de Zacarias – Capítulo 2

A Visão de Zacarias

O trabalho da vida de Jesus,
Que na Terra foi realizado,
Pelo profeta João Batista
O mesmo foi iniciado.

O pai de João Batista,
Que tinha o nome de Zacarias,
Era um sacerdote judeu
E no templo de Jerusalém ele servia

Enquanto a sua mãe, Isabel,
Ao ramo mais importante pertencia
Do grande grupo familiar
Do qual também procedia Maria.

Zacarias e sua mulher, Isabel,
Embora há muitos anos casados,
Permaneciam ainda sozinhos
Pois nenhum filho haviam gerado.

Certo dia, pela manhã,
Estando sozinho no santuário,
Zacarias oferecia o sacrifício
Obedecendo aos ritos e ao horário,

Eis que, de repente,
Aparece, à direita do altar,
Um vulto totalmente estranho
Aos freqüentadores do lugar…

Zacarias então estremece,
Tomado de grande comoção,
Ficando completamente imóvel
Mediante a inesperada aparição.

– Não temas Zacarias –
Disse-lhe naquele instante
O desconhecido que ali estava
Com a voz calma e confiante:

– Foi atendida a tua prece;
Eis que a tua esposa, então,
Virá a conceber um filho,
A quem porás o nome de João.

Será grande aos olhos de Deus
E repleto dum espírito santo
Desde o seio de sua mãe;
Converterá e fará voltar a Deus, portanto,

A muitos dos filhos de Israel.
Refletindo naquela ocasião
Sobre tão singular notícia,
Surge na mente do ancião,

Mesmo que rapidamente,
Uma ligeira desconfiança
Sobre a real possibilidade
De vir a nascer essa criança.

– Por que sinal conhecerei
Se o que dizes é verdade? –
Perguntou à aparição
Expressando a sua perplexidade –

Pois que sou velho,
E minha mulher, também,
É avançada em anos.
Respondeu-lhe o misterioso alguém:

– Eu sou Gabriel,
Que assisto ante o trono do Senhor
E fui enviado para comunicar-te
Esta mensagem – declarou.

E proferindo uma sentença,
Concluiu na oportunidade:
– Como não deste fé às minhas palavras,
Serás mudo e terás a incapacidade

De proferir uma palavra
E até o dia em que esta predição
Vir a se tornar realidade
Viverás nesta situação.

Os que esperavam a benção do ancião
Da parte de fora do santuário
Estranhavam por sua vez
A demora além do horário.

Quando finalmente Zacarias
No topo da escada apareceu
E não pôde formular palavras
Ao povo que ali compareceu,

Todos, nesse caso, compreenderam
Que alguma coisa acontecera:
Zacarias havia ficado mudo
Foi o que realmente ocorrera.

Terminado o serviço litúrgico,
Zacarias retornou à sua residência
Em completo mutismo
E à sua esposa deu ciência,

Por intermédio de sinais,
Do que houvera acontecido
Enquanto se encontrava no templo
Durante o sacrifício oferecido,

Bem como da jubilosa esperança
Que tinham de um sucessor.
E ambos naquele instante
Louvaram e agradeceram ao Senhor.

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro

 

 

Biografia de Jesus em Versos – Ponto de Vista – Capítulo 1

Ponto de Vista

Jesus da Galiléia, Jesus Nazareno
Ou, simplesmente, Jesus de Nazaré
Teve o Seu nascimento em Belém,
E os Seus pais foram: Maria e José.

Nasceu entre os anos 8 e 4 a.C.¹
É considerado o fundador
Das bases da religião cristã
Da qual é Mestre e Senhor.

Para os religiosos cristãos
De Jesus Cristo Ele é chamado,
E pelo judaísmo messiânico
De Messias Ele foi nominado.

É um grande profeta
Para os adeptos do islamismo
E a figura mais proeminente
Dos prosélitos do cristianismo.

Possui papel importante
Em várias outras religiões
Já que os seus ensinamentos
Alcançaram as multidões.

O nome Jesus (do hebraico Yeshua)
Significa “Salvador”
Ou simplesmente (Yah)
O “Auxílio do Senhor”.

Seus discípulos e admiradores
O chamavam de Messias
Ou “O Ungido do Senhor”
Desde aqueles dias.

O nome Cristo vem do grego
(Christós), que significa “Ungido”.
Os cristãos o consideravam
O filho de Deus no mundo nascido,

Enviado ao planeta Terra
Com a grande responsabilidade
De se doar em favor do próximo
Para salvar a humanidade.

Sua influência junto aos homens
Foi maior, em todo sentido,
Do que qualquer outra pessoa
Que jamais tenha existido.
Seus ensinamentos sobre o amor,
A misericórdia e a fraternidade
Uniram pessoas de muitos lugares,
Tornando o cristianismo, na verdade,

O grupo religioso mais difundido
Em toda a Terra, na atualidade.
Maomé, o fundador do Islã,
Via Jesus Cristo, na realidade,

Como um dos maiores profetas
E adotou muitos de seus preceitos.
Os princípios de igualdade,
Na luta contra os preconceitos,

A responsabilidade e o cuidado
Com os desvalidos da democracia,
Também, têm nas lições de Jesus
As suas bases de imensa sabedoria.

Grande parte do que é conhecido
Sobre a vida e os ensinamentos
Do Salvador da humanidade
É contado com detalhamento

Nas páginas do Novo Testamento
Que tem na sua composição
Sete livros: os quatro evangelhos
De Lucas, Marcos, Mateus e João;

O livro de Atos dos Apóstolos,
Escrito por Lucas, médico e evangelista;
O livro das Epístolas
Composto pelos nomes desta lista:

Paulo, Tiago, Pedro e Judas,
Com 21 cartas em sua formação;
E do livro do Apocalipse
Redigido pelo apóstolo João.

Nos Evangelhos encontramos
Os fatos mais marcantes
Sobre a vida de Jesus Cristo
Em sua trajetória brilhante.

Os Atos dos Apóstolos
Contam um pouco do que sucedeu
Nos trinta anos seguintes
Do dia em que Jesus “morreu”.
Nas Epístolas de Paulo
Também encontraremos a “luz”
Dos ensinamentos redentores
Do amado Mestre Jesus.

 

Autor:Arnaldo de Araújo rocha
Biografia de Jesus em Versos

Capítulo 1 – Ponto de Vista

Capítulo 2 – Visão de Zacarias

Capítulo 3 – Maria, A Futura Mãe

Capítulo 4 – Maria Visita sua Prima Isabel

Capítulo 5 – João, O Anunciador do Messias

Capítulo 6 – O Difícil Reencontro